O propósito do Modelo de Excelência Enxuta Empresarial é Potencializar as conquistas dos resultados para o negócio por meio da aplicação das boas práticas de gestão empresarial reconhecidas pelo mercado e utilizando como estratégia o Pensamento Enxuto em todos os níveis.

O modelo começa pelos Clientes. Nesse sentido, olhando o modelo de um ponto de vista macro, os Clientes são todas as pessoas físicas e jurídicas que esperam receber algum Valor da organização. Portanto, Clientes podem ser: Clientes Finais, Acionistas, Pessoas que trabalham na empresa e para a empresa, Representantes, Fornecedores, Governos, Entidades de Classe, Parceiros entre outros. A empresa precisa conhecer cada um dos seus Clientes e o que é Valor na percepção de cada um deles.

A empresa entrega Valor para seus Clientes por meio de seus Produtos e Serviços. Uma empresa se revela no mercado por meio de seus Produtos e Serviços, e esses devem ser pensados no sentido de entregar os Valores que cada Cliente espera.

Os Produtos e Serviços são entregues aos Clientes por meio de Sistemas de Trabalho. Um Sistema de Trabalho é composto por: 1) Processos, 2) Participantes, 3) Informações, Material e/ou Dinheiro, 4) Tecnologia e Outros Recursos.

  • Processos – Processos representa, olhando do mais alto para o mais baixo nível: Gestão da Rotina (Macroprocessos, Processos, Sub processos, Atividades e Tarefas) e Gestão de Mudança (Portfólio, Programas, Projetos). Olhando para o nível mais baixo, corresponde ao conjunto de tarefas que devem ser executadas para entregar Valor para os Clientes. Representa o conjunto de processos (Cadeia de Valor) que devem ser executados pelo sistema empresarial para entregar Valores para seus Clientes.
    As boas práticas e padrões utilizados pelo mercado são utilizados como referência para nortear como esses processos devem ser executados, sempre passando pelo filtro do Pensamento Enxuto.
    Toda organização deve lidar com a Gestão da Rotina e Gestão da Mudança.
    A Gestão da Rotina representa as tarefas do dia a dia para entregar valor para os Clientes e para que elas sejam efetivas é importante que sejam padronizadas (standard). Essa é uma condição de se promover constantemente melhorias aos processos. Dentro da Gestão da Rotina estão os processos relacionados com a Governança Enxuta Empresarial (Avaliar, Dirigir e Monitorar) e Gerenciamento Enxuto Empresarial (Padronizar, Fazer, Controlar e Agir), em Inglês (Standard, Do, Control and Act). Os processos na Gestão da Rotina podem ser classificados em Processos Estratégicos (Governança, Gerenciamento Estratégico, Inovação e Novos Negócios), Operacionais (Marketing, Vendas, Produção, Operação, Logística, Assistência Técnica, etc.) e de Apoio (Administrativos, Financeiro, Recursos Humanos, Tecnologia da Informação, Contabilidade, Jurídico, Fiscal, etc.).A Gestão da Mudança representa o conjunto de iniciativas (programas e projetos) que devem ser executados para melhorar os Produtos, Serviços e Processos. Esse conjunto de iniciativas fazem parte do portfólio de iniciativas para se promover melhorias na organização em todos os níveis. O Gerenciamento Enxuto de Projetos são um conjunto de tarefas que devem ser executadas para se elevar o nível do Padrão definidos nas rotinas do dia a dia, seja para melhorar Produtos, Serviços e/ou Processos. Gerenciamento Enxuto de Projetos (Planejar, Fazer, Controlar e Agir), em Inglês (Plan, Do, Control and Act).
  • Participantes – Representa as pessoas (externas e internas) que se relacionam com o Sistema de Trabalho. Esses participantes disparam, alimentam, executam, enfim, interagem com os processos, informações, recursos e tecnologias. Os participantes são principalmente Pessoas, e a excelência está intimamente relacionada com as pessoas e para isso elas precisam ter Conhecimento (o que fazer e por que), Capacidade (como fazer) e Vontade (querer fazer).
  • Informações, Material e/ou Dinheiro – É o que circula no Sistema de Trabalho. O Sistema de Trabalho é alimentado por esses itens, quanto melhor a qualidade daquilo que é inserido no sistema, melhor será a qualidade daquilo que será produzido e entregue por ele. Em se tratando de Informações, por exemplo, se a informação colocada no sistema não for correta, segura, confiável e pontual, não será possível entregar no final resultados corretos, seguros, confiáveis e pontual. É crítico para o sucesso do sistema de trabalho que aquilo que circula nele, desde a sua origem, sejam corretos, seguros, confiáveis e pontuais.
  • Tecnologia e Outros Recursos – São as tecnologias, equipamentos, softwares, hardwares, instalações, ferramentas, enfim, recursos utilizados para viabilizar, facilitar, simplificar, e/ou agilizar as execuções dos processos.

No modelo, ao redor dos Clientes, Produtos e Serviços, e do Sistema de Trabalho, estão o Ambiente, a Infraestrutura e a Estratégia.

O Ambiente represente tudo que acontece fora da organização, ou do sistema de trabalho, mas que pode afetá-lo, influencia-lo. Por exemplo: leis, regulamentos, tendências, mudanças demográficas, concorrências, novas tecnologias, cenários políticos e econômicos. As variáveis do Ambienta precisam ser constantemente observadas pois afetam os resultados da organização e de seus sistemas de trabalho.

A Infraestrutura representa tudo aquilo que está fora do sistema de trabalho, mas é demandado pelo sistema de trabalho. Cada Unidade de Negócio da organização pode ser entendida com um sistema de trabalho. Os recursos compartilhados fazem parte da infraestrutura. Por exemplo, auditório, salas de reuniões, veículos, etc. Se analisarmos, por exemplo, o sistema de trabalho de recursos humanos, o sistema de trabalho financeiro é para recursos humanos parte da infraestrutura. O sistema financeiro da organização é compartilhado com outras áreas de negócio, exemplo: faturamento, compras, etc.

A Estratégia também norteia como cada sistema de trabalho será definido. As melhorias que serão promovidas nos sistemas de trabalhos levam em consideração as prioridades definidas pela Estratégia. As estratégias genéricas dão uma noção de como os sistemas de trabalhos devem ser projetados, ou seja, o foco da empresa é na diferenciação, custo ou nicho. Na estratégia está definido no modelo que será norteada pelo Pensamento Enxuto, em todos os níveis da organização. O pensamento enxuto como estratégia assegura que todos os trabalhos realizados deverão estar em conformidade com os 5 (cinco) princípios do pensamento enxuto que são:

  • Agregar VALOR na percepção do Cliente (Externo ou Interno);
  • Desdobrar a CADEIA DE VALOR para identificar e eliminar desperdícios;
  • Implementar um FLUXO contínuo e otimizado;
  • Demanda PUXADA pelo Cliente;
  • Perseguir a PERFEIÇÃO.

Com a aplicação dos princípios do pensamento enxuto, fica claro que o modelo pode ser aplicado em empresa de qualquer porte. Pois, as boas práticas de governança e de gerenciamento existem para todas as áreas de negócio, mas só se aplicará em cada empresa as boas práticas que de fato agregarem valor naquele momento.

O modelo se destaca por buscar a integraçãoconvergência entre os sistemas de trabalho (processos, pessoas, informação e tecnologia) e as áreas de negócio, utilizando padrões e boas práticas reconhecidas pelo mercado e aplicando como estratégia o pensamento enxuto em todos os níveis da organização. Isso permite que cada organização adeque os padrões e boas práticas às suas reais necessidades, incorpore esse aprendizado a cultura da empresa e evolua em termos de gestão de acordo com suas potencialidades e disponibilidades.

Mauro Gonçalves Pinheiro
MSc.,MBA,CPIM,PMP,LAV

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *